sábado, 5 de março de 2016

Boas vindas


Sejam bem vindos ao 'Chic Barman', onde vocês encontrarão mais de 850 receitas saborosas de pratos salgados, doces, bolos, tortas; e bebidas cheias de estilo. As melhores opções para o Barman ou Bartender.



<bgsound SRC="http://www.kboing.com.br/toby-keith/1-1252908/" LOOP="INFINITE">
Receitas sofisticadas. Você também pode ser "chique": Experimente !
Beba com moderação. E não esqueça: "Se beber, não dirija. Se dirigir, não beba".

Aproveitem bem, pois são especiarias e bebidas "de se lamber o beiço", ou então, de se assimilar os sabores com muito requinte.

Estou aproveitando este dia 04 de outubro de 2014, data em que se comemora o dia do Barman ou Bartender para lançar este blog com a designação de "CHIC BARMAN".

O termo francês ou inglês escolhido foi "Chic" porque aqui você encontrará, além de receitas de bebidas nacionais e internacionais de sabores refinados, verá também receitas sofisticadas de gourmet nacional e internacional em doces, salgados, petiscos variados e até o famoso caviar e falso caviar. Uma mina de ouro para quem trabalha com bares, pubs, restaurantes e lanchonetes, e lógico que será de grande valia para o profissional Barman ou Bartender. (donas de casa também poderão aproveitar as receitas). Não é mesmo chique?

E a designação de "Barman" é devido aos artigos, dicas, receitas e diversos assuntos para encaminhar o profissional da área em seu aperfeiçoamento e conhecimento, ajudando-o em suas pesquisas.

Espero que este blog seja muito útil para vocês meus caros amigos profissionais ou iniciantes. Meus parabéns por este dia.

Um abraço de Hedy Lennon.


Como montar um bar


Apresentação


Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

Nas grandes cidades, existe um bar em cada esquina, mas para cada bar há um público diferente. É exatamente isso que faz com que exista sempre espaço para todos os investidores neste mercado. Ter como negócio um bar não é tão simples assim, é preciso ter certeza que seu perfil seja adequado para o tipo de investimento. Esse tipo de negócio exige muita dedicação e comprometimento. O atendimento ao público é o fator principal para o sucesso, mas, além disso, a carga horária desse tipo de investimento é bastante pesada e exige uma atenção maior.


O Bar é um negócio que oferece um ambiente agradável onde os amigos se encontram, conversam, tomam bebidas geladas ou quentes, acompanhadas de petiscos. Está presente em todas as cidades e em todos os lugares, mudando suas características de acordo com os hábitos e cultura do local.

O Bar atua como ambiente social integrador, tornando-se ponto de referência e algumas vezes conhecido por seus clientes famosos ou personalidades, bem como por seu cardápio ou especialidades gastronômicas.

Cada vez mais atrativos são oferecidos pelo bar: a beleza do ambiente e da decoração, o som, o prazer de ter pessoas agradáveis com quem conversar, a possibilidade de descontração, música, jogos, etc.

O negócio de bares e restaurantes é o que oferece o maior número de empregos, juntamente com a construção civil. No Brasil este negócio é responsável direto por 2 milhões de pequenos empresários e a geração de no mínimo 5 milhões de empregos.

O segmento é também muito importante para a atração de turistas e nos grandes centros urbanos é uma das principais opções de lazer da população. Vida noturna e gastronomia são respectivamente a primeira e a segunda atração turística numa cidade como São Paulo, conforme demonstra pesquisa realizada pelo jornal Folha de São Paulo.

O serviço prestado por um bar deverá ser concebido com visão profissional, o que irá requerer uma avaliação objetiva sobre a forma de atuação, público alvo, localização, cardápio de comidas e bebidas a serem oferecidas, bem como as expectativas comerciais que esse tipo de empreendimento requer.

Para a elaboração de um plano de negócios consulte o SEBRAE mais próximo.

Se quiser mais detalhes é só clicar em: Baixar PDF



Como montar um bar



Veja como montar um bar passo a passo. Leia esse artigo até o fim e você vai saber o que é necessário para abrir um bar de sucesso.

O bar é simplesmente um ponto de encontro entre amigos para jogar conversa fora tomando cerveja ou alguma bebida quente acompanhada de petiscos. É uma das principais opções de lazer em grandes e médias cidades.

Atualmente os bares procuram se destacar através de uma decoração temática, cardápios específicos para cada dia da semana e programações musicais.

Esse mercado movimenta muito dinheiro e é responsável por mais de cinco milhões de empregos diretos. São mais de dois milhões de micro e pequenas empresas atuando nesse segmento em todo o país.

Montar um bar pode ser muito lucrativo, mas é preciso saber lidar com a concorrência de maneira inovadora e bom atendimento.  Para manter o estoque em dia, procure por fornecedores próximos à sua cidade, contrate funcionários com o mínimo de experiência em lidar com o público, ofereça um diferencial  no menu e na estratégia de marketing da empresa.



Mercado de bares


Você pode escolher entre vários modelos de negócio, do botequim ao bar temático.

O mercado de bares é gigante e tem boas perspectivas a curto, médio e longo prazo devido ao aumento de poder aquisitivo da população em geral.

Para você ter uma ideia de acordo com a ABRASELl (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) esse setor conta com mais de 350 mil estabelecimentos e movimenta cerca de R$ 4 bilhões por ano.

Segundo a ABRASELI, apenas 15% dos bares que são abertos no Brasil sobrevivem após dois anos. Isso se deve à grande concorrência nesse setor, o que exige criatividade e bom faro de negócios do empreendedor.

Prefira abrir um bar no caminho que seu cliente faz para voltar para casa no final do dia. Escolha o local de acordo com o público que você deseja atrair. Locais próximos a faculdades, cursinhos e escritórios costumam dar bom retorno.

Outro ponto importante é estacionamento. Escolha um ponto que tenha um bom fluxo de carros e pessoas e que possua uma área de estacionamento disponível.


Investimento


Um investimento como um bar, exige que o empreendedor tenha espírito de liderança, ousadia  e inovação além de, um capital de no mínimo R$70 mil (bar simples de pequeno porte).



Capital de Giro


O capital de giro deverá ser de no mínimo R$20 mil. Faça um balanço das contas fixas como, luz, água, telefone, internet, gaz, prefeitura, imposto, aluguel, e funcionários, e depois contabilize os gastos variáveis como, mercadoria. Estipule desta forma, um valor mensal de gastos e depois multiplique por no mínimo 18 meses.



Localização


Após definido a abertura de um bar é fundamental definir o tipo de negócio e o público a ser atingido para que dessa forma o ponto comercial possa ser escolhido. Por existirem muitos bares a chance de ter diversos concorrentes ao redor de seu negócio é bem grande, mas isso não inibe o sucesso, podendo ser até mesmo uma grande oportunidade. Vale ressaltar que a localização deve ser de fácil acesso e com estacionamento, esses fatores diferenciam o negócio dos demais.

O ponto comercial definido é hora de correr atrás da legalização, por ser um bar e trabalhar com alimentos é essencial o alvará de funcionamento e da vigilância sanitária, esses fatores devem ser vistos diretamente na prefeitura de sua cidade.



Exigências legais


Para começar, procure um contador de sua confiança. É esse profissional que vai te orientar sobre os aspectos legais e burocráticos do seu empreendimento.

Alguns procedimentos para montar um bar podem variar de cidade para cidade, mas esses a seguir são os procedimentos básicos:

Escolha do tipo de sociedade da empresa, do nome e criação do contrato social;
Registro na Junta Comercial de sua cidade;
Inscrição do CNPJ na Receita Federal;
Registro na Secretaria da Fazenda;
Registro na Secretaria Estadual da Saúde - Solicitação de licença sanitária;
Solicitação de Vistoriadas condições de segurança e proteção contra incêndio no Corpo de Bombeiros;
Inscrição na Prefeitura para conseguir o alvará de localização; e,
Registro no Sindicato Patronal.

Importante frisar que a Lei federal 9.294 de 1996 proíbe o fumo em todo ambiente público e fechado e é válida em todo o território nacional. Além disso, pode ser complementada por legislação estadual, e às vezes municipal, específica sobre o tema. Consulte a associação de bares da sua cidade.



Veja outras restrições e obrigações que seu estabelecimento deverá seguir


Lei 8069 de 13/07/90, dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. No artigo 81 estabelece a proibição da venda de bebidas alcoólicas à criança ou adolescente.
Resolução RDC nº. 216, de 15 de setembro de 2004, da ANVISA, a qual determina que restaurantes, lanchonetes, padarias, cantinas, bufês, comissarias, confeitarias, delicatéssens, pastelarias, cozinhas industriais e institucionais, rotisserias e congêneres adotem procedimentos para se adequarem ao Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação; e,

Resolução RDC nº. 218, de 29 de julho de 2005. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênico-Sanitários para Manipulação de Alimentos e Bebidas Preparados com Vegetais.



Estrutura de um bar


Essa parte não tem segredo. A estrutura do local deverá ser divida entre: recepção, escritório, um salão para a colocação das mesas, balcão de bebidas, depósito para o estoque e a área da cozinha, banheiros masculino e feminino, sala de jogos (opcional), e palco para músicos ou apresentação de stand-up (comediantes).

O balcão merece atenção especial e deve estar em um local bem escolhido e de acesso imediato. O tampo deve ser de material de fácil higienização.

O salão para servir bebidas deve estar localizado em área ampla e agradável para a permanência dos clientes. Além disso, precisa ter tamanho suficiente para permitir a movimentação dos garçons.

As bebidas mais nobres, como wisky  e vodkas importadas, merecem um lugar de destaque nas prateleiras. Algumas garrafas possuem design que por si só servem de decoração e despertam o desejo de degustá-las.

Dê uma atenção especial à iluminação. Coloque pequenas lâmpadas atrás das garrafas para destacar as cores das bebidas.

Os bancos devem ser confortáveis e giratórios. Cuide para que o cliente fique com a maior parte o tronco acima do balcão para facilitar o manuseio dos produtos.



Equipe de trabalho


A quantidade de funcionários é proporcional a estrutura do seu bar. Você precisará contratar garçons, cozinheira, chapeiro, barman ou barwoman, balconista e caixa e Auxiliar de limpeza.

Você ou uma pessoa de sua confiança poderá ficar no caixa. Treine seus funcionários para que o atendimento e o serviço sejam impecáveis. Crie um uniforme adequado para a sua equipe de acordo com a função de cada um.



Automação


A automação é importante em qualquer setor. No setor de alimentos, como em lanchonetes, restaurantes, padarias e bares, o sistema automatizado auxilia na anotação do pedido e no pagamento. As agendas de anotações mais modernas transferem o pedido ao caixa com apenas um clique. Facilita o atendimento e o pagamento, além de conferir modernidade ao ambiente.




Equipamentos para abrir um bar



Para o salão e área interna do balcão serão necessários os seguintes equipamentos:

01 microcomputador completo;
01 impressora;
01 linha telefônica;
01 impressora de cupom fiscal;
Mesas, cadeiras, armários, de acordo com o dimensionamento das instalações;
Prateleiras para bebidas;
Gaveteiro para guardar dinheiro, cheques e tickets de cartões de débito e crédito;
Equipamento para recebimento através de cartões de débito e crédito;
Aparelho de TV e DVD player;
Geladeira vertical especial para cerveja;
Estufas para salgados;
Sistema de ar condicionado dimensionado de acordo com o tamanho do ambiente;
Equipamento de som;
Materiais de uso diário, tais como: talheres, pratos, copos, panelas, cinzeiros, etc.;
Banquetas;



Móveis e equipamentos para a área de cozinha

Os utensílios de cozinha assim como freezers, geladeiras e fogão, devem ser definidos de acordo com o projeto do empreendedor. Os móveis devem combinar com a proposta de público, e estilo do bar, e podem variar de acordo com o ambiente. Dependendo da localização do bar e do público alvo, contrate um manobrista. Abaixo uma lista mais completa:

Freezer horizontal com geladeira;
Fogão industrial;
Balcão frigorífico;
Chapa com aquecimento a gás;
Exaustor;
Filtro de água;
Espremedor de frutas;
Liquidificador;
Estufa;
Fritadeira elétrica;
Panelas, assadeiras, etc.;
Forno de micro-ondas;



Para o balcão:

Coqueteleira ou shaker para preparar coquetéis batidos;
Pinça de uso geral;
Dosadeira; e,
Produtos para vender no bar.



Os produtos que você vai vender no bar são as bebidas, os pratos e petiscos:

Bebidas mais procuradas


Cervejas;
Vinhos;
Wisky;
Vodka;
Energéticos;
Refrigerantes;
Aguardente de cana;
Run;
Martini;
Campari;
Chopp;e,
Sucos.


Petiscos mais vendidos


Queijos e frios;
Carnes variadas;
Batata frita;
Mandioca;
Bolinhos diversos;
Linguiças; e,
Salsichas.



Dica


Um grande diferencial está na criatividade, o empreendedor criativo e ousado vale por dois, decore o bar com temas exclusivos, explore os espaços e ofereça serviço e atendimento de alta qualidade fechando acordo com bons fornecedores e produtos de primeira linha.

Preocupe-se em desenvolver um menu com uma grande variedade de alimentos e bebidas, para satisfazer todos os gostos.

Reserve uma área para fumantes. Na decoração, abuse dos lustres e luminárias para criar ambientes agradáveis e requintados.



Conclusão


Montar um bar é uma tarefa trabalhosa e os riscos são altos, não posso te iludir.

Porém, se você fizer a escolha correta do ponto comercial, montar uma equipe de trabalho competente e atrair o público certo para o seu bar, os riscos diminuem.

Espero ter te ajudado a esclarecer alguns dos pontos mais importantes na hora de abrir um bar.

Se você gostou, deixe um comentário dizendo o que achou do artigo.



Inspire-se nesta história real de uma pessoa batalhadora



"Sem tempo de sair de férias"

Você está disposto a sacrificar a vida pessoal e o tempo reservado à família para dedicar-se a um negócio só seu?.....

Há casos em que a falta de tempo para o descanso e o lazer é compensada pela natureza do negócio. Antonio Augusto Deleuse trabalhou durante 26 anos como gerente da Rhodia. Nesse período, tirava férias regularmente. Sua paixão pelo jazz o fez largar tudo para concretizar um projeto antigo: montar um bar com música ao vivo. Desde 1995, Deleuse administra o All of Jazz, uma das melhores casas do gênero em São Paulo. Supervisiona o caixa, fecha comandas, contrata músicos, checa o som, anota reservas de mesas e executa uma série de outras pequenas tarefas no bar. Quando dá tempo, ataca de barman, preparando os coquetéis que apreciava quando estava do outro lado do balcão.

A nova rotina de Deleuse não é fácil. Alem fica no bar das 20h às 6h, dorme durante o dia, almoça por volta das 17h e resolve um ou outro probleminha antes de voltar ao batente.

Hoje seus rendimentos são inferiores ao salário que tinha na Rhodia. Em compensação, trabalha rodeado de posteres de Billie Holiday, Miles Davis e Charlie Parker, ouvindo música de primeira.

Os clientes do bar são quase todos amantes de Jazz, com quem ele pode conversar sobre uma nova cantora revelada na Europa ou uma gravação de John Coltrane. Para o ex-executivo, a mudança valeu a pena. Mesmo quando está sufocado pelo trabalho, Deleuse sempre consegue encarar o All of Jazz como extensão do hobby cultivado há décadas.



Fontes:
All of Jazz
Pequenos Negócios Lucrativos
Franquia Empresa


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

10 bebidas alcoólicas populares na história


O etanol é um velho parceiro da humanidade. Praticamente cada povo, época e região soube obter etanol das fontes disponíveis de glicose e do manuseio inteligente do fungo saccaromyces cerevisae. O etanol é calmante e desfaz a autocensura. Como diziam os romanos: “no vinho, há verdade”. Portanto pode ser útil em conquista amorosa, em espionagem e na diplomacia.

Há vários fatos históricos e míticos relacionados ao etanol. Apesar de ser uma droga aceita socialmente, é problema de saúde publica, está por trás de muitos acidentes de carro, abusos contra mulheres e crianças e faltas ao trabalho. Além disso, o etanol é um excelente exemplo de que após descriminalizar uma droga, é praticamente impossível recriminalizá-la, vide o gangsterismo nos EUA após Crise de 1929 e Lei Seca.

Esta lista foi enviada pelo grande Klaus Provenzano.


1. Hidromel


A mais antiga bebida alcoólica parece ser o hidromel. Desde Paleolítico, humanos notam que coisas imersas no mel custam a estragar. Isto porque no mel há duas condições que prejudicam a multiplicação de fungos e bactérias: alta osmolaridade e presença de antibóticos naturais. Mas, bastando diluí-lo em água e esperar, obtém-se, da fermentaçao do mel, o etanol. Além de ser consumida em Roma e na Grécia Antiga, outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, os saxões e os vikings. Também era conhecido o consumo de uma bebida similar pelos maias. Na Mitologia Nórdica, o hidromel aparecia como a bebida favorita dos deuses.

Produto fermentado: mel


2. Cerveja


Da fermentaçao da cevada, os antigo egípcios produziram várias cervejas que apreciavam ao ponto de chamá-las de pão líquido e considerarem artigo de cesta básica. Egípcios já conheciam  a cerveja loira, a morena e a ruiva. Uma das cervejas vermelhas egípcias era chamada de “aquela-que-parou-Sekmet”, uma menção ao mito que a deusa-leoa, viciada em sangue, só interrompeu sua missão de extinguir a humanidade quando foi embriagada por seu irmão, o deus Thot. A cerveja do mundo mediterrâneo alcançou o mundo celto-germano, onde disputou como hidromel a preferência. Uma cervejaria em Munique foi palco da primeira tentativa de Hitler tomar o poder. E também foi em uma cervejaria na mesma cidade a tentativa frustrada de matar o ditador alemão.

Produto fermentado: cevada


3. Vinho


Da fermentação da uva, típica trepadeira do clima mediterrâneo, surge o emblemático vinho que marcou diversos eventos históricos. O verão seco do clima desidrata a uva e a torna mais doce. Provavelmente criado pelos sumérios, ele aparece em mitos do dilúvio, paralelos a Torá. O consumo de vinho entre greco-romanos no dia-a-dia envolvia colocar água para manter a lucidez da conversa. A proporção era ditada pelo anfitrião e o vinho era diluído em uma cratera (buraco no centro da sala ou grande recipiente, do qual todos se serviam). Quando o vinho alcançou o mundo celto-germano regado a hidromel e cerveja, o vinho fez grande sucesso sem a diluição. Por isso, os greco-romanos diziam que tomar vinho não-diluido fora das festas religiosas era costume bárbaro.

Produto fermentado: uva


4. Saquê


Obtido da fermentação do arroz, o saquê começa sua conquista do Japão junto com o próprio arroz ainda no Período Yamato. O arroz já havia conquistado as lavouras da China do sul onde substituiu o painço e o trigo. O arroz é uma erva do pântano e exige um clima muito mais úmido, ele é nativo do Sudeste Asiático e de lá foi transplantado para o Sul da China e para a bacia do Ganges por humanos. A Índia védica e a China han deveriam ter suas próprias versões de saquê. Os povos do Extremo Oriente tem genes que determinam a acetilação (destruição do etanol pelo corpo do usuário) mais lenta, o que explica sua forte reação corando suas faces e a embriaguez mais intensa e prolongada com menores doses.

Produto fermentado: arroz


5. Arake


O arake é obtido da fermentação da cana-de-açúcar, seguida de sua destilação e tempero de baunilha. A cana também é nativa dos pântanos do sudeste asiático. Foi levada para o pantanoso Baixo Egito por Alexandre Magno, onde era conhecida como mel vegetal. Os islâmicos conquistaram o Egito no século VII e desenvolveram a alquimia. A alquimia é a precursora da ciência química. O destilador ou alambique já era conhecido dos gregos de Alexandria. Com vidraria especial, aquece-se a mistura de fluidos, cujos componentes tem diferentes pontos de ebulição. Captura-se rápido os vapores (espíritos) desprendidos sequencialmente e resfria-se cada um deles rapidamente pela contra-passagem de água fria. Mas foram os árabes que usaram o alambique (palavra árabe) para obter álcool (outra palavra árabe).

Produto fermentado: cana-de-açúcar


6. Whisky


Etanol destilado, pode ser obtido de trigo e outros grãos, tipicamente plantados na Europa Ocidental e depois envelhecido em barris de carvalho. Técnica árabe, foi adotada por monges italianos e é descrita por Ramon Lull, pensador cristão das Baleares. A bebida era conhecida como “água da vida”, com fins medicinais (permitia a adoção de procedimentos dolorosos). A bebida logo passou a uso dos cirurgiões barbeiros e, na Escócia do século XV, passou a ser usada mais indiscriminadamente. A celtização da “água vital” originou a palavra whisky. Entre os whiskys , o mais famoso é o escocês (daí o nome Scotsh) e, como admite mistura de plantas para fazer o malte (o amido pré-digerido antes de fermentar), também é conhecido como blended. O whisky é muito usado para combater a sensação de frio, mas, na verdade, induz a uma perigosa hipotermia. Assim, mantenha-se agasalhado se for beber whisky no frio.

Produto fermentado: trigo e outros grãos


7. Airag


Os mongóis tinham uma vida quase totalmente dependente de seus rebanhos, com pouquíssima agricultura. Portanto, sua fonte de etanol foi o leite de égua fermentado. Acetiladores lentos, algumas decisões políticas errôneas dentro da família imperial foram tomadas sob “espírito do etanol”. Após conquistarem a Pérsia e a China, rapidamente trocaram o airag por vinhos, arakes, saquês e cervejas. Antes deles, os hunos também deviam fazer uso pesado do airag, mas foi o vinho romano que matou o grande Átila aos pouquinhos. O alcoolismo crônico pode destruir o fígado e outros órgãos. A destruição do fígado leva a formação de grossas varizes no esôfago. Átila, durante a lua-de-mel, vomitou sangue e se afogou nele. Uma consequência do alcoolismo agudo (vômito com engasgo) com a do crônico (rotura das varizes). Uma morte nada glamorosa, segundo autores de hoje. Uma morte justa, segundo autores cristãos da época.

Produto fermentado: leite


8. Vodka



É outro destilado. Aqui o etanol é obtido da batata.  A batata é um tubérculo nativo das regiões frias dos Andes. Ela pode estocar muita água para aguentar períodos de seca, mas germina fácil, com a mais leve umidade. Era o alimento dos povos andinos. Os espanhóis levaram a batata para a Europa, onde prosperou em diversas montanhas, como os Apeninos, Alpes, Pirineus, Montanhas Irlandesas e Urais e causou um grande boom populacional, com consequência importante para história europeia a partir de Napoleão. Um fungo acabou sendo transplantado dos Andes para a Irlanda, provocando grande fome e emigração para os EUA. A batata somente fermentada não produzia etanol de qualidade porque tinha alto teor de água e estragava fácil, com bactérias competidoras do fungo saccaromyces. Nos Urais, os russos resolveram destilar a batata fermentada, produzindo a bebida com maior teor de etanol de todas.

Produto fermentado: batata


9. Tequila


Na Mesoamérica dos maias e astecas, prosperava um parente da batata, o tomate, que não se prestou à base de nenhuma bebida alcoólica, apenas como algo para dar sabor (o famoso Bloody Mary, referência à vida e à morte da rainha anglo-escocesa Maria). Mas aqueles povos fermentavam o cacto agave-azul, obtendo a famosa tequila, que também foi turbinada pela destilaçao vinda da Eurásia. A tequila é um problema de saúde coletiva antigo no México. Pelas leis mexicanas, a tequila pode ser produzida apenas no estado de Jalisco e em regiões limitadas de Guanajuato, Michoacán, Nayarit, e Tamaulipas. O México clama o direito internacional exclusivo da palavra “tequila”, ameaçando ações legais contra produtores de destilados de agave-azul em outros países.

Produto fermentado: cacto agave-azul


10. Cachaça


A cachaça é uma bebida de grande importância cultural, social e econômica para o Brasil, e está relacionada diretamente ao início da colonização do País e à atividade açucareira. A geração inicial de colonizadores apreciava a bagaceira portuguesa e o vinho do porto. Assim como a alimentação, toda bebida era importada da metrópole. Em algum engenho é descoberto o vinho de cana-de-açúcar, que é o resultado do caldo de cana fermentado, como também dos subprodutos da produção do açúcar, como as espumas e o melaço misturados à água. É uma bebida limpa, em comparação com o cauim – vinho produzido pelos índios, no qual todos cospem num enorme caldeirão de barro para ajudar na fermentação do milho. Os senhores de engenho passam a servir o tal caldo, denominado cagaça, para os escravos.

Produto fermentado: cana-de-açúcar



Fonte: História Digital



Página anterior Próxima Página